Como as cartilhas existem para ensinar alguma coisa, a escritora Betty Milan resolveu criar uma para ensinar a ser feliz. Mas como? Falando da amizade e mostrando como esse sentimento é positivo na vida de todo mundo, desde as crianças até os adultos. Sobretudo, ela é o melhor remédio para uma doença do nosso tempo: a violência. É importante valorizar a amizade, porque dela nasce a paz.

Projeto pedagógico para leitura:

 

Estrutura da obra Trata-se de um livro colorido com 48 páginas, em formato quadrado de 21 x 21 cm. As letras são bem grandes e podem ser adequadas a alunos em fase intermediária de letramento ou alunos de EJA. Ele tem uma página introdutória, em que a autora explica a finalidade desta "cartilha" e escreve um pouco sobre amizade. Nas próximas páginas duplas, haverá sempre o seguinte padrão: página da esquerda com escrita, página da direita com imagem. E haverá sempre uma espécie de axioma inicial e seu complemento ou explicação em páginas diferentes. Por exemplo: "O amigo ilumina" (axioma inicial) ... “Porque ele vê e ouve o que você não consegue ver nem ouvir” (complemento). Esta construção frasal permite o trabalho da percepção de causa e efeito ou consequência. As imagens do livro são simples, claras e poéticas. Completam muito bem a intenção das frases. A última página de texto tem uma “conclusão”, em que a autora deixa uma nova mensagem para o leitor. Pré-leitura A capa do livro é uma ciranda de pessoas (que podem ser entendidas como crianças), dando-se as mãos em duplas. Este é um tipo de imagem bastante conhecido e utilizado quando se retrata vida em sociedade, em harmonia. O fato de a imagem ser redonda aproxima o leitor da ideia de que todos estão em posição igual de direito, ou seja, não há ninguém melhor ou pior, acima ou abaixo. Este pode ser um bom "mote" para o professor trabalhar o conceito principal que o livro traz: amizade. A definição de amizade, que pode ser abstrata para algumas faixas etárias e de difícil compreensão, merece aqui um clareamento maior a partir de perguntas

que o professor pode fazer aos alunos: “o que é amizade? O que é ser amigo? Como sabemos que alguém é nosso amigo? O que um amigo faz quando o outro está triste?”, etc. O professor também pode discutir o sentido da palavra “cartilha”, a qual completa o título do livro. De forma geral, uma cartilha era um livro para se ensinar a ler. Depois, livros com finalidade de ensinar o básico de algum assunto passaram a ser chamados de “cartilha”. Por exemplo: pode-se dizer de uma cartilha sobre meio ambiente, uma cartilha de boas maneiras ou uma cartilha sobre períodos de vacinação. A partir desta conceituação, o professor pode estimular os alunos a discutirem o que viria a ser uma “cartilha do amigo”. Este aspecto pode ser brevemente discutido antes de se iniciar a leitura. Leitura – texto e imagem A leitura é bem simples e agradável. O professor pode fazê-la em volta alta, mostrando as imagens que completam o sentido do texto.

Leitura – texto e imagem A leitura é bem simples e agradável. O professor pode fazê-la em volta alta, mostrando as imagens que completam o sentido do texto.

Pós-leitura O trabalho mais meticuloso se inicia aqui. É quando o professor fará uma segunda leitura e buscará, junto aos alunos, caracterizar o que é um amigo, segundo as ideias da autora. Por exemplo: quais seriam as características de um verdadeiro amigo? De acordo com o livro, o amigo "ilumina", é "um anjo da guarda", possui um amor que "nunca é de agora", não sabe o motivo de ser amigo, quer “contentar o amigo”, "tem como vocação a paz", "é generoso", "é delicado", "escuta o amigo", "ganha perdendo tempo com o amigo". Estes “axiomas” podem ser trabalhados nesta pós-leitura, já previamente visualizados como frases projetadas em um telão.

A leitura do livro pode gerar um projeto que envolva ética nas relações humanas como base para a amizade em um sentido geral. Inicialmente, pode-se debater sobre as diferenças entre etnias, religiões, idiomas, expressões culturais. O professor, dependendo da faixa etária dos alunos e do currículo a ser trabalhado, pode dividir a classe em grupos. Se tomarem o Brasil como um tema gerador, por exemplo, cada grupo pode trabalhar com as diferenças culturais de uma grande região, e apontar pontos de conflito e desrespeito às diferenças. O final deste projeto pode ser uma feira

cultural e a entrega de uma cartilha aos visitantes. Uma “cartilha do amigo brasileiro", por exemplo, ou uma “cartilha do amigo do turista” pode ser um bom produto final para o projeto, que deve mobilizar a classe em torno das questões éticas que envolvam solidariedade e vida em sociedade.

Atividade Encenação - Pelo fato de a cartilha não ter um enredo como o de uma história, o professor pode trabalhar com seus alunos, a partir do texto, a construção de um roteiro que tenha como tema a amizade, o qual se transformará em um pequeno texto teatral para ser representado. Isso pode ser útil para fortalecer as ideias básicas da cartilha junto às crianças menores. Entretanto, este texto produzido deve ser leve e divertido, e não moralista. Brincadeiras – O professor pode buscar, com seus alunos, brincadeiras que eles conheçam e que sejam cooperativas, e não competitivas. Deixamos uma como sugestão: Eu gosto de você Em um espaço amplo, colocam-se cadeiras e a brincadeira começa com todos do grupo (exceto um) assentados em círculos com as cadeiras. Quem estiver separado iniciará como líder. Ele ficará no centro e se voltará para uma pessoa, dizendo: Fula no, eu gosto de você. A pessoa em questão lhe perguntará: por quê? E a pessoa do centro responderá, por exemplo: Porque você usa brincos. Quem estiver usando brincos trocará de lugar rapidamente, enquanto quem estava no centro procurará um lugar para se assentar. Quem não conseguir uma cadeira, ficará no centro e reiniciará o jogo. Seria interessante estimular respostas como: porque você dança bem, porque é educado, porque é responsável, etc. É interessante também mostrar que o exercício da liderança é algo que circula, em vez de se tornar fixo e centrado em uma única pessoa. Aqui, a pessoa que “sobra” não é excluída como nos jogos mais conhecidos, mas reconhecida como parte do grupo e, por isso,passa a ser o líder.

 

 

 

 

 

 

CARTILHA DO AMIGO, A

REF: ISBN: 9788589759021
R$42,00 Preço normal
R$31,50Preço promocional
  • Editora de Cultura

    Autor(es): BETTY MILAN (TEXTO) / DANIEL KONDO (ILUSTRAÇÕES)

    ISBN: 9788589759021
    Assunto: Infantis e Juvenis
    Edição: 1ª Edição - 2012
    Páginas: 48
    Formato: 21 x 21 cm.
    Acabamento: Brochura
    Preço: R$ 42,00